Entenda o que é o movimento Vale da Moqueca lançado no Espírito Santo

O movimento Vale da Moqueca é inspirado em ecossistemas de inovação já existentes em diversos lugares do mundo e com o objetivo de conectar ideias, pessoas e iniciativas e gerar desenvolvimento econômico e social no Espírito Santo. O lançamento oficial do movimento ocorreu no último dia 18 de outubro, em Vitória

O Vale da Moqueca foi iniciado por alguns empresários capixabas, dentre eles: Rogerio Salume, Fabricio Vargas Matos, Leonardo Carraretto, Diana Padua, Igor Souza, Felipe Ramaldes, Rafael Miranda, Cristina Pascoli, Vistor de Castro e Rodolpho Mathias.

O movimento tem a proposta de mudar e valorizar o cenário empreendedor do Espírito Santo, por meio de um ambiente propício ao desenvolvimento de novos negócios, startups, eventos, ideias e turismo.

A iniciativa surgiu através do desejo de empresários capixabas de impulsionar o estado que acolheu a sede de suas empresas. À frente do Movimento, eles acreditam no diferencial logístico, na riqueza cultural, no espírito colaborativo, na essência empreendedora e também na diversidade local, como engrenagens para o crescimento da região. Tendo como objetivo alcançar voos em escala nacional e mundial.

A escolha do nome faz alusão ao prato típico da culinária capixaba, conhecido pela incrível mistura de ingredientes. Agora, essa mistura vai ultrapassar os limites da panela de barro, para alavancar o ecossistema de startups e empresas capixabas que pensam e fazem diferente. Além de criar a “Rota” do Vale da Moqueca, com muita inovação e tecnologia. O intuito é gerar visibilidade para que as cidades se desenvolvam e recebam investimentos na área urbana e social.

O Vale da Moqueca será uma marca, ou melhor, um selo que pretende firmar um elo entre todos esses ecossistemas. Como uma espécie de “guarda-chuva”, o Movimento vai abraçar a região metropolitana do ES delimitando um território para fortalecer, atrair investimentos e receber novas empresas, unindo os três principais pilares: a iniciativa privada, acadêmica e o governo.

“Vamos usar o selo do Vale da Moqueca para mobilizar a região metropolitana de Vitória, fazendo com que essa “marca” ganhe força e traga credibilidade. A ideia é melhorar não apenas as empresas, mas também o ambiente em que elas estão inseridas, desde a mobilidade urbana à navegação de internet em locais públicos e até mesmo o turismo local” conta Rafael Miranda, diretor criativo da Origens.

Ainda segundo Rafael, a terra capixaba é muito fértil, os empreendedores apostam na inovação de seus negócios, e esse é o momento ideal para auxiliar na mudança e no processo de desenvolvimento. Victor de Castro, idealizador do evento Exagerado, complementa que “ainda não temos noção de onde o Espírito Santo pode chegar daqui a 5 e 10 anos, mas podemos ir longe”, afirma. Além disso, ele acredita que onde alguns enxergam barreiras ou objeções, outros vislumbram oportunidades. Esse é o caso deles.

O responsável pela Wine, Rogério Salume, diz que já ouviu diversas vezes que o Espírito Santo e suas empresas estavam “fora do eixo”, e por isso deveriam ir ao Rio de Janeiro ou São Paulo. Hoje, ele tem certeza que esse é o grande diferencial do Estado. “Nós não temos que ir a outro lugar, porque já estamos fazendo coisas incríveis aqui, como juntar pessoas, ideias e startups para transformar essa região em uma referência nacional de empreendedorismo”, conclui.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Rolar para cima