R$ 6,7 mi aprovados para estações de recarga de veículos elétricos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou apoio de R$ 3,4 milhões e R$ 3,3 milhões para dois projetos de redes de recarga de veículos elétricos. Os recursos serão provenientes do BNDES Funtec, fundo não reembolsável voltado a projetos de pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico e inovação.

As iniciativas foram selecionadas em uma chamada pública realizada em 2016 e serão desenvolvidas por duas unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii): Fundação CPqD – Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações e a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI).

O projeto do CPqD conta com investimento total de R$ 5 milhões e tem como interveniente a PHB Eletrônica Limitada, empresa brasileira com mais de 30 anos de experiência em projetos de inovação na área de eletrônica de potência aplicada a sistemas de energia.

A iniciativa da CERTI prevê investimento de R$ 7,5 milhões e conta com a WEG, fabricante nacional de eletroeletrônicos de uso industrial com mais de 50 anos de mercado e que já atua no setor de redes inteligentes e mobilidade elétrica. Os projetos dispõem também de apoio financeiro não reembolsável da Embrapii, no valor total de R$ 2,9 milhões.

As instituições desenvolverão modelos de eletropostos de recarga lenta (8 a 16 horas), semirrápida (2 a 4 horas) e rápida (até 1 hora). As estações poderão ser instaladas em residências, shoppings, estacionamentos, postos de gasolinas e estradas.

BNDES e Embrapii – O apoio aos dois projetos ocorre no âmbito dos objetivos do Acordo de Cooperação entre o BNDES e a Embrapii, estabelecido em setembro de 2017. Seus principais objetivos são realizar o apoio a projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de empresas em colaboração com institutos de pesquisas e universidades, bem como promover a integração dos modelos de fomento à inovação.

Mercado – O segmento de veículos elétricos apresenta rápido crescimento no mundo, tendo superado a marca de três milhões de unidades em 2017, aumento de 50% em relação a 2016. Apesar da grande quantidade, o montante representa apenas 0,2% do total da frota mundial e está concentrado em poucos países. A disponibilidade de uma infraestrutura de recarga é um dos principais gargalos para o desenvolvimento do setor. Nesse sentido, as operações do BNDES representam uma oportunidade para ampliação da frota de veículos elétricos no país.
Impacto ambiental – As políticas públicas e as metas de redução de emissões de gases poluentes adotadas pelos países tendem a acelerar o processo de ampliação da frota de veículos elétricos.

Perspectiva – O setor de veículos elétricos apresenta uma série de oportunidades de aprimoramento, tais como o desenvolvimento de equipamentos mais compactos, de menor custo ou com maior capacidade de armazenamento. Outras possibilidades são a geração de energia fotovoltaica, troca de energia e programação de carregamento para horários de menor demanda e, consequentemente, menor custo.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Rolar para cima