Plataforma de comunicação com foco no desenvolvimento da Nova Economia é lançada no ES

Uma nova plataforma de comunicação com foco em fomentar o desenvolvimento da Nova Economia está sendo lançada no Espírito Santo. O Radar Digital chega com o objetivo de inspirar inovação e atitude seja por meio de notícias, artigos diários, eventos ou conexão.

De acordo com o CEO do Radar, Leonardo Carraretto, foram blogs e veículos de notícia do Vale do Silício, que abordam o ambiente do local e são frequentemente recomendados em conversas, que foram responsáveis por gerar o insight para a criação do meio de comunicação.

“Manter um canal de comunicação sobre o ambiente da Nova Economia faz com que as pessoas se inspirem e até mesmo tomem atitude ao saber o que está acontecendo. Imprensa e startups tem muito a ver, e nós vemos poucas iniciativas falando a esse respeito. Nós queremos ser exatamente uma fonte para que as pessoas envolvidas na Nova Economia se atualizem e saibam o que está acontecendo ‘no Radar'”, afirma Leonardo.

Carrareto considera que a velocidade da transformação digital está mudando a realidade e perspectivas dos negócios em todo o mundo. Segundo ele, existem vários atores envolvidos nisso: sejam as startups, grandes empresas buscando conhecer e aprender com as startups essa nova dinâmica, desafios de inovação, incentivos públicos, entre outras diversas iniciativas.

“Temos muita coisa acontecendo e muita coisa boa, que vai nos levar para patamares melhores e menos dependentes de commodities. Estamos aprendendo que a indústria criativa e do conhecimento faz mais sentido para o mundo, seja por consumir menos e ser mais sustentável ou simplesmente por permitir um impacto muito maior na resolução de grandes problemas da humanidade. Afinal, os maiores negócios do mundo serão os melhores negócios para o mundo”, entende Carrareto.

O Radar entende que, nesse cenário, o Espírito Santo tem um ambiente propício, muito mais pela necessidade que tem de desenvolver essa Nova Economia do que pelos recursos disponíveis. “Nos falta mão de obra, nos falta mercado consumidor, nos falta cultura de inovação por anos amparados em economias menos sustentáveis e escaláveis, mas em compensação nos sobra talento e vontade de fazer”, comenta Leonardo.

“Nosso objetivo com o Radar é ser mais uma mola propulsora para esse desenvolvimento. Olhando Israel, que é menor que o Espírito Santo e é a maior concentração per capita de startups, podemos dizer que temos um gigantesco potencial”, acrescenta o CEO do Radar.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Rolar para cima